Mais de 1270 imóveis disponíveis

Financiamento imobiliário mais barato: as melhores taxas para comprar a casa própria

Pesquisa mostra que mais de 50% das pessoas sem imóvel próprio ainda têm essa prioridade


Paula Zogbi,
27 jul, 2018 11h17


SÃO PAULO – Comprar um imóvel é a prioridade número um de 52% dos brasileiros que ainda não têm casa própria, de acordo com um estudo
realizado online pela MindMiners e enviado ao InfoMoney. Para 28% das pessoas, essa aquisição aparece como a segunda maior prioridade, na
frente de estudar; comprar móveis; comprar um carro e viajar.

Em outras palavras, 80% dos brasileiros que vivem com os pais ou de aluguel possuem uma intenção relativamente alta de comprar um imóvel.
Dessas pessoas, 31% pretende pagar por esse bem financiando parte do valor, enquanto 34% não sabe dizer o formato do pagamento ou não pensa
nisso.

Para a afirmação “só conseguirei comprar um imóvel se conseguir um bom financiamento”, 60% responderam de maneira afirmativa. Por outro
lado, 73% disseram ter receio de se comprometer com parcelas altas de um imóvel e não conseguir pagar.

Com as recentes quedas da Selic e o anúncio de corte nas taxas de financiamento imobiliário pela Caixa, quase todas as instituições financeiras
também diminuíram suas taxas de financiamento recentemente.

Considerando dois perfis de compras, o InfoMoney realizou uma simulação das taxas de financiamento disponíveis no mercado e descobriu as
melhores taxas. O primeiro caso analisado se enquadra no SFH: um imóvel de até R$ 400 mil na cidade de São Paulo.

Uma simulação da Proteste para o InfoMoney nos sites das maiores instituições calculou o Custo Efetivo Total (CET) para este caso. Os valores são
os seguintes:


Esta outra tabela considera o financiamento para um imóvel mais caro, que se enquadre no modelo SFI (carteira hipotecária) - ou seja, custando mais
de R$ 950 mil para SP, RJ MG E DF, e mais de R$ 800 mil para outros estados.


A Proteste realizou a simulação para o InfoMoney com base nos simuladores oficiais dos sites de cada banco. A instituição aponta que os valores do
site da Caixa caíram no início deste ano, mas aparentemente seguem inalterados no site oficial. O juro efetivo mínimo (cliente com relacionamento)
no SFH caiu para 9% ao ano em abril. Já os valores para o SFI agora partem de 10% ao ano.

Importante notar que famílias com renda de até R$ 7.000 podem ser enquadradas em uma das faixas do programa governamental Minha Casa Minha
Vida. O projeto oferece subsídios e taxas de juros diferenciadas, de acordo com as regras disponibilizadas no site da Caixa.

Vale lembrar que a maioria dos bancos financia até 80% do valor, mas isso não é regra. A Caixa, por exemplo, só faz parcelamento de até 70% para
imóveis usados, enquanto o Itaú aceita parcelar até 82% do preço de compra.

Quanto ao prazo máximo, também há diferenças. Banco do Brasil, Santander e Caixa trabalham com até 35 anos; enquanto Itaú e Bradesco têm
prazo máximo de 30 anos.

Fonte: https://www.infomoney.com.br/imoveis/noticia/7532275/financiamento-imobiliario-mais-barato-melhores-taxas-para-comprar-casa-propria